segunda-feira, 11 de novembro de 2013

ILHA DE MARAJÓ II.wmv

http://www.youtube.com/v/xsp-iIeT-jI?autohide=1&version=3&autohide=1&feature=share&attribution_tag=6HwqRJ1L-NYa8u9fgErT8Q&showinfo=1&autoplay=1

ROMARIA FLUVIAL. CIRIO DE NAZARÉ..wmv

http://www.youtube.com/v/Q_YWLcIYfLs?version=3&autohide=1&showinfo=1&attribution_tag=1mZZoFdGsr-bp-JbRTy1-w&autoplay=1&autohide=1&feature=share

ROMARIA FLUVIAL. CIRIO DE NAZARÉ..wmv

http://www.youtube.com/v/Q_YWLcIYfLs?version=3&autohide=1&showinfo=1&attribution_tag=1mZZoFdGsr-bp-JbRTy1-w&autoplay=1&autohide=1&feature=share

sábado, 26 de outubro de 2013

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

domingo, 19 de maio de 2013

Parque Estadual da Serra da Cantareira .



Localizado ao lado do Horto Florestal, o Parque da Cantareira possui uma das maiores áreas de mata tropical nativa do mundo situada dentro de uma região metropolitana. Seus 7.900 hectares são formados por remanescentes de mata atlântica (www.ambiente.sp.gov.br). O parque assegura a proteção de seus mananciais, além de abrigar diversas espécies animais ameaçadas de extinção, como o bugio, o gato-do-mato, a jaguatirica, o macuco, o gavião-pomba, o jacuguaçu e o bacurau-tesoura-grande. Também possui diversas espécies vegetais, incluindo algumas ameaçadas de extinção, como a imbuia, a canela-preta e a canela-sassafrás.

sábado, 18 de maio de 2013




Espaço Verde na Cidade de São Paulo.

  •  




São  Paulo cidade dos arranha-céus, comércio, ruas, avenidas e bairros famosos, além, é claro, da correria de seus mais de 11 milhões de habitantes e os 223 mil carros. Mas no meio de tudo isso existe um lugar para respirar ar puro e ter contato direto com a natureza: o extremo da Zona Norte, na reserva de Mata Atlântica da Cantareira - isso se o Rodoanel não acabar. ste parque é a maior floresta urbana nativa do mundo. A área começou a ser formada há mais de cem anos, com a desapropriação de fazendas de café, chá e cana-de-açúcar que a ocupavam, para recuperar a mata, proteger mananciais e garantir o fornecimento de água de São Paulo. O nome Cantareira foi dado à serra pelos tropeiros que a atravessavam, pois aqui havia grande quantidade de nascentes e córregos. Na época, armazenava-se a água em cântaros, grandes jarros ou vasos, que, por sua vez, eram guardados em prateleiras chamadas cantareiras.

Aos poucos, a mata atlântica voltou a ocupar a área: hoje encontram-se aqui espécies como a embaúba, o pau-jacaré, a imbuia, a canela-preta, a samambaia-açu e o jacarandá-paulista. Com as árvores vieram os animais: macaco-bugio, veado-mateiro, bicho-preguiça, gato-do-mato e jaguatirica, entre outros (alguns ameaçados de extinção). No parque (no Núcleo Águas Claras) já se registrou até mesmo a presença de suçuarana (a onça-parda).

O parque possui três núcleos: o da Pedra Grande (mais procurado), o Engordador (chamado assim por causa de uma fazenda de engorda de gado da região) e o Águas Claras, recentemente inaugurado. Todos têm trilhas bonitas, agradáveis e bem sinalizadas. Como parque estadual, a Cantareira está voltada para o ecoturismo: são caminhos e trilhas no meio da mata que permitem que o visitante entre em contato com a natureza, conheça a mata atlântica e possa até mesmo observar alguns animais. Por isso, é importante trazer sempre água e um lanche leve (o parque não tem lanchonete) e vestir roupas confortáveis, adequadas para caminhada

terça-feira, 14 de maio de 2013

Taipas nasceu a partir da parada de trens ::

Nossos bairros, nossas vidas

O bairro de Taipas ficou conhecido por esse nome dada às construções com essa técnica, trazida de Portugal, e usada na construção de casarões de fazenda. Taipas, segundo o livro Bairros Paulistanos de A a Z, de Levino Ponciano, “era uma grande fazenda ao lado da Serra da Cantareira”. A região já era citada no século 17 por atas da Câmara Municipal, como um caminho, uma bifurcação que do Pacaembu se dirigia para Emboaçava (antiga denominação da região da Lapa) e dali seguia para Taipas, Jundiaí.

Contam os mais antigos que o local onde está o centro de Taipas, hoje, havia um grande estabelecimento, construído de taipa, que funcionava como restaurante, salão de bilhar, salão de baile para 600 pessoas, onde também existia um gerador de energia. Este local funcionou entre 1954 e 1960 - e foi um dos pólos centrais por onde cresceu o bairro.

A data oficial de aniversário de Taipas, instituída por meio de lei municipal de 1998, determinou o dia 3 de maio como a data de aniversário, no entanto, o projeto desta lei não justifica o porquê da data, ou quantos anos o bairro teria. Além do mais, a citada lei estabelece o Dia do Parque de Taipas, e não o Dia de Taipas. Ao que tudo indica, a lei é equivocada e não se baseou em fatos históricos - isto sugere a necessidade de retificação da mesma.

Se formos considerar a história, verdadeiramente, como mostram os fatos, Taipas comemorou, em 2008, 117 anos, se a data de referência fosse a mesma da inauguração da Parada de Taipas, estação de trens aberta em 1º de outubro de 1891, e que depois ganhou o nome de Estação Jaraguá, e onde se desenvolveu o bairro do Jaraguá. Como se vê, o marco do desenvolvimento urbano local foi a estação de trens - que deu origem a dois bairros - sendo Jaraguá distrito. Antes da Parada de Taipas existia apenas sítios, chácaras, alambiques, depois dela vieram os loteamentos. (Pesquisado e escrito por Célio Pires de Araujo)




domingo, 21 de abril de 2013

Homenagem ao descobrimento do Brasi!!!!Memorial da Epopeia do descobrimento!!!!!!











MEMORIAL DA EPOPÉIA DO DESCOBRIMENTO . PORTO SEGURO - BRASIL

DESCRIÇÃO

Os guias do Memorial ao contarem passagens de nossa História acabam explicando pormenores que não aprendemos nas escolas. Um exemplo é o tamanho das embarcações utilizadas por Cabral que possuíam cerca de 30m. de comprimento. O Memorial mostra a caravela tal qual foi construída pelos portuguêses. No porão, eram armazenados caixotes e sacos. Traziam vinho, água, azeite e comida que era ingerida estragada devido à falta de conservação. Aí entravam os condimentos que eram usados abundantemente para disfarçar o gosto e o odor da comida putrefata. Essa carga era armazenada em ambos os lados do porão, além de um farto carregamento de pedras cuja finalidade era dar equilíbrio à embarcação. No meio desse empilhamento sobrava um estreito caminho onde a tripulação dormia revezando-se de quatro em quatro horas. Essas embarcações não possuiam banheiro; assim sendo, para as necessidades fisiológicas os mais tímidos se utilizavam de baldes cujo conteúdo era posteriormente lançado ao mar e os mais ousados sentavam-se no parapeito do casco e defecavam. Posteriormente faziam uso de cordas desfiadas para a "limpeza" de seus corpos. Essas cordas eram lançadas ao mar para serem lavadas; entretanto, nem sempre havia tempo suficiente para essa limpeza e outros a utilizavam do jeito que estavam: sujas! Cabral partiu de Portugal com 13 navios - 9 naus, 3 caravelas e uma naveta com mantimentos - e 1.500 homens sendo que muitos faleceram pela falta de vitamina C em seus organismos, uma doença chamada Escorbuto. A respeito do Descobrimento do Brasil por Pedro Álvares Cabral, há um trabalho do professor da Universidade de Coimbra Jorge Couto, intitulado A CONSTRUÇÃO DO BRASIL, que derruba essa afirmação. Duarte Pacheco Pereira, pessoa de confiança de D. Manuel I, teria chegado à costa brasileira entre novembro e dezembro de 1498. A descoberta desse continente teria ficado sob sigilo devido ao fato de Duarte Pacheco ter desembarcado em terras espanholas de acordo com o Tratado de Tordesilhas em 1494. O comunicado ao Rei D. Manuel I foi um manuscrito cifrado elaborado pelo próprio Duarte entre 1505 e 1508

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Trancoso Porto Seguro Bahia. Festas Tradicionais.

 As festas de São Sebastião e São Brás, são parte da tradição de Trancoso! Um espetáculo cultural que resgata as raízes de Trancoso e reúne turistas e nativos!!

As festas começam na véspera do dia do Santo, e varam a noite com muita cantoria e forró. Embalada pelos festeiros que batucam o samba de couro e cantam as cantigas tradicionais, sem parar, até os momentos finais da festa.

A energia e empolgação do povo, contagia os visitantes, sobretudo no momento culminante da festa que acontece no final da tarde. Nesse momento é feita a troca do mastro com a bandeira do santo (São Brás ou São Sebastião) junto ao cruzeiro que fica na frente da Igreja no Quadrado Histórico, depois de levantado o mastro é feita a dança do pau que é entregue para o festeiro do próximo ano.

Outras festas acontecem durante o ano: A festa de Iemanjá no dia 2 de fevereiro na Pousada Estrela d`Agua, as festas juninas durante o mês de junho e as famosas festas de Reveillon de Trancoso no fim do ano.



segunda-feira, 8 de abril de 2013

Trancoso Bahia..Litoral Sul da Bahia.

Trancoso é um povoado pertencente ao município de Porto Seguro, no estado da Bahia, no Brasil.Quadrado.


História

Segundo o capitão-de-mar-e-guerra Max Justo Guedes, do Serviço de Documentação da Marinha, foi no Rio dos Frades, em Trancoso, que a esquadra de Pedro Álvares Cabral desembarcou em 23 de abril de 1500, tomando posse do Brasil em nome de Portugal[1].
A atual povoação de Trancoso origina-se de uma aldeia jesuíta denominada São João Batista dos Índios, fundada em 1586. O povoado permaneceu desconhecido nacionalmente até ser descoberto no fim dos anos 1970 porhippies. Na época, era só um conjunto de casas dispostas ao redor de um grande gramado (o chamado "Quadrado"), com uma igreja ao fundo, de onde se tinha uma visão panorâmica do mar[2]. Hoje, esse espaço é Praça São João, no Centro Histórico da cidade. A partir da década de 1990, com o incremento do turismo no estado e a construção de estradas e aeroportos, o potencial turístico da região sofreu um crescimento vertiginoso.
 No dia 20 de janeiro de cada ano, é celebrada a Festa de São Sebastião, muito popular e alegre, onde toda a população nativa, além de turistas, participam. No dia da festa, os homens transportam um mastro de madeira com mais de metros metros de altura, encimado com a bandeirade São Sebastião, substituindo a do ano anterior.

quinta-feira, 28 de março de 2013


Sexta-Feira Santa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé.Encontre fontes: Google — notíciaslivrosacadêmico — Scirus — Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Cristo crucificado, por Diego Velázquez
Sexta-Feira Santa, ou 'Sexta-Feira da Paixão', é a Sexta-Feira antes do Domingo de Páscoa. É a data em que os cristãos lembram o julgamento, paixão, crucificação, morte e sepultura de Jesus Cristo, através de diversos ritos religiosos.
Segundo a tradição cristã, a ressurreição de Cristo aconteceu nodomingo seguinte ao dia 14 de Nisã, no calendário hebraico. A mesma tradição refere ser esse o terceiro dia desde a morte. Assim, contando a partir do domingo, e sabendo que o costume judaico, tal como o romano, contava o primeiro e o último dia, chega-se à sexta-feira como dia da morte de Cristo.
A Sexta-feira Santa é um feriado móvel que serve de referência para outras datas. É calculado como sendo a primeira Sexta-feira após a primeira lua cheia após o equinócio de outono no hemisfério sul ou oequinócio de primavera no hemisfério norte, podendo ocorrer entre 20 de março e 23 de abril.

[editar]Igreja Católica

Na Igreja Católica, este dia pertence ao Tríduo pascal, o mais importante período do ano litúrgico. A Igreja celebra e contempla a paixão e morte de Cristo, pelo que é o único dia em que não se celebra, em absoluto, a Eucaristia.
Por ser um dia em que se contempla de modo especial Cristo crucificado, as regras litúrgicas prescrevem que neste dia e no seguinte (Sábado Santo) se venere o crucifixo com o gesto da genuflexão, ou seja, de joelhos.

[editar]Celebração da Paixão do Senhor

No entanto, mesmo sem a celebração da missa, tem lugar, no rito romano, uma celebração litúrgica própria deste dia. Tal celebração tem alguma semelhança com a celebração da Eucaristia, na sua estrutura, mas difere essencialmente desta pelo facto de não ter Oração eucarística, a mais importante parte da missa católica.
A relembração da morte do Senhor consiste, resumidamente, na adoração de Cristo crucificado, precedida por umaliturgia da Palavra e seguida pela comunhão eucarística dos participantes. Presidida por um presbítero ou bispo,paramentado como para a missa, de cor vermelha, a celebração segue esta estrutura:

Senhor Morto, escultura barroca do século XVIII, Matriz de Pirenópolis
  • entrada em silêncio do presidente e dos ministros, que se prostram em adoração diante do altar.
  • oração colecta.
  • Liturgia da Palavra: leitura do livro de Isaías (quarto cântico do servo de Javé, Is 52,13-53,12), salmo 31 (30), leitura da Epístola aos Hebreus (Hebr 4, 14-16; 5, 7-9), narração ao Evangelho e leitura do Evangelho da Paixão segundo João (Jo 18,1-19,42, geralmente em forma dialogada).
  • Homilia e silêncio de reflexão.
  • Oração Universal, mais longa e solene do que a da missa, seguindo o esquema intenção – silêncio – oração do presidente.
  • Adoração de Cristo na Cruz: a cruz é apresentada aos fiéis e venerada ao som de cânticos.
  • Pai Nosso
  • Comunhão dos fiéis presentes. Usa-se pão que foi consagrado no dia anterior, Quinta-Feira Santa.
  • Oração depois da comunhão.
  • Oração sobre o povo.
Obs: Em muitas cidades históricas, como Paraty (RJ)Ouro Preto (MG)Pirenópolis (GO)Jaraguá (GO)Rio Tinto (Concelho de Gondomar em Portugal) e São Mateus, a Celebração da Paixão e Morte do Senhor é procedida daProcissão do Enterro, também conhecida como Procissão do Senhor Morto, em que são cantados motetos em latim.
Toda a liturgia católica deste dia está em função de Cristo crucificado. Assim, a liturgia da Palavra pretende introduzir os fiéis no mistério do sofrimento e da morte de Jesus, que assim aparece como uma acção livre de Cristo em ordem àsalvação de toda a humanidade.
A veneração da cruz, símbolo da salvação, pretende dar expressão concreta à adoração de Cristo crucificado.
A comunhão eucarística é, para a Igreja, a forma mais perfeita de união com o Mistério pascal de Cristo, e por isso é um ponto culminante na união dos fiéis com Cristo crucificado. O facto de se comungar do pão consagrado no dia anterior vem exprimir e reforçar a unidade de todo o Tríduo Pascal.
Além da celebração da Paixão do Senhor, rezam-se as diversas horas litúrgicas da Liturgia das Horas, incluindo um texto de São João Crisóstomo intitulado O Poder do Sangue de Cristo.

[editar]Sinais de penitênciaA Igreja exorta os fiéis a que neste dia observem alguns sinais de penitência, em respeito e veneração pela morte de Cristo. Assim, convida-os à prática do jejum e da abstinência da carne e qualquer tipo de ato que se refira a prazer. Não se pode ouvir músicas. Antes, essas tradições começavam na quarta-feira santa, mas hoje em dia começam na quinta-feira santa, depois do meio-dia. Em muitos locais, estas datas são celebradas com encenações.

Exercícios piedosos, como a Via Sacra e o Rosário, são também recomendados como forma de assinalar este dia especialmente importante para a fé cristã.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Quinta feira Santa


Quinta-Feira Santa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Quinta-feira Santa ou Quinta-feira de Endoenças é a quinta-feira imediatamente anterior à Sexta-feira da Paixão, da Semana Santa.
Este dia marca o fim da Quaresma e o inicio do Tríduo pascal na celebração que relembra a ultima ceia de Jesus Cristo com os doze Apóstolos.

[editar]Liturgia da Quinta-Feira de Endoenças

Os ofícios da Semana Santa chegam à sua máxima relevância litúrgica na Quinta-Feira de Endoenças, quando começa o chamado "tríduo pascal, culminante na vigília que celebra, na noite do Sábado de Aleluia, a ressurreição de Jesus Cristo ao Domingo.
Na "Missa dos Santos Óleos" ou Missa do Crisma, a Igreja celebra a instituição do Sacramento da Ordem e a bênção dos santos óleos usados nos sacramentos do Batismo, do Crisma e da Unção dos Enfermos, e os sacerdotes renovam as suas promessas. De entre os ofícios do dia, adquire especial relevância simbólica o "lava-pés", realizado pelo sacerdote em memória do gesto de Cristo para com os seus apóstolos antes da Última Ceia.

[editar]História

Na Quinta-Feira de Endoenças, Cristo ceou com seus apóstolos, seguindo a tradição judaica do Sêder de Pessach, já que segundo esta deveria cear-se um cordeiro puro; com o seu sangue, deveria ser marcada a porta em sinal de purificação; caso contrário, o anjo exterminador entraria na casa e mataria o primogênito dessa família (décima praga), segundo o relatado no livro do Êxodo. Nesse livro, pode ler-se que não houve uma única família de egípcios na qual não tenha morrido o primogênito, pelo que o faraó permitiu que os judeus abandonassem do Egito, e eles correram o mais rápido possível à sua liberdade; o faraó rapidamente se arrependeu de tê-los deixado sair, e mandou o seuexército em perseguição dos judeus, mas Deus não permitiu e, depois de os judeus terem passado o Mar Vermelho, fechou o canal que tinha criado, afogando os egípcios. Para os católicos, o cordeiro pascoal de então passou a ser o próprio Cristo, entregue em sacrifício pelos pecados da humanidade e dado como alimento por meio da hóstia.

[editar]A data da Quinta-Feira de Endoenças

Num calendário em que varia cada ano para buscar a coincidência da Semana Santa com a primeira lua cheia posterior ao equinócio de outono, as datas mais próximas da quinta-feira de Endoenças são as seguintes:
Quinta-Feira de Endoenças
AnoData
20075 de abril
200820 de março
20099 de abril
20101 de abril
201121 de abril
20125 de abril
201328 de março
201417 de abril
20152 de abril
201624 de março

segunda-feira, 25 de março de 2013

Canoa Quebrada !! CE




domingo, 24 de março de 2013

Por do Sol em Canoa Quebrada . Fortaleza CE

Duna Pôr do Sol: Um dos maiores espetáculos do nordeste e o Pôr do sol em cima da maior duna de Canoa Quebrada. Dizem que este pôr-do-sol visto por apaixonados sempre termina em casamento. Percorre o vilarejo até a duna. Uma boa opção para conhecer a vila desde o ponto mais alto de Canoa.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Histórias de Familia. Viagem De barco a Vapor pelo Rio São Francisco .


  1. Fomos refazer o caminho que meus familiares fizeram em 1944  do Ceará ate o estado de São Paulo.
  2. Vieram de Vapor pelo Rio São Francisco, Muito sofrimento e muitos meses dentro   do Vapor. Fome e doenças incuraveis da época. . Crianças morriam e eram atiradas no rio, 
  3. Quando chegaram e Bom Jesus da Lapa  desembarcaram e foram visitar  o Santuário de Bom Jesus da Lapa  e visitaram a gruta.. Esta parada era obrigatória .Diz a lenda:  Todos que recusavam a parar o vapor virava nas pedras morrendo todos.. Minha mãe contava varias historias referente a essa viagem. Foi a maneira que achamos para  revivemos suas historias.
  4. Fique  encantada com o Santuário que fica dentro da gruta alem do santuário visitamos  toda gruta onde foi contada varias histórias sobre ela e a cultura do povo do lugar.
  5. As visitas se estende pelo dia todo , os guia te levam por dentro e por fora que vai escalando o Morro ate o topo avistando toda a cidade e o Rio São francisco. È uma vista maravilhosa.
    Adicionar legenda



terça-feira, 19 de março de 2013

Bom Jesus da Lapa

Visita ao Santuário de Bom Jesus da Lapa.

A Lapa é uma região que fazia parte da sesmaria do Conde da Ponte, Antônio Guedes de Brito, quando Francisco de Mendonça Mar, peregrino para uns, andarilho para outros, descobriu um morro à margem direita do Rio São Francisco, em 1691. Nas redondezas do lugar existiam apenas alguns currais de gado e empregados de Antônio Guedes. O monge, como mais tarde ficou conhecido, tinha por esse tempo uns trinta anos. Distribuiu os seus bens, fez-se pobre, andou pelo sertão vestido de um grosso burel e carregando uma imagem do Bom Jesus.
Caminhou cerca de duzentas léguas por entre tribos de índios, esteve exposto aos perigos das onças e outros animais selvagens que abundavam nas florestas virgens do sertão.
Em 1691, Francisco de Mendonça Mar descobre o morro que viria a ser o Santuário de Bom Jesus da Lapa. Numa de suas inúmeras grutas, começa uma vida de eremita, devoto do Jesus e de Maria da Soledade.
A cidade começou sua existência à sombra do Santuário do Bom Jesus. Na data em que o Monge chegou a este lugar, havia entre o morro e o rio São Francisco apenas algumas palhoças de índios Tapuias. Mas, com o tempo, foram agregando-se devotos que resolveram fazer sua moradia perto do lugar, onde se achava a imagem do Bom Jesus. O Monge construiu junto ao Santuário, um hospital e um asilo para os pobres e doentes, dos quais cuidava. Assim começou a crescer ao lado da lapa do Bom Jesus um povoado, assumindo o mesmo nome deBom Jesus da Lapa.
Graças às constantes peregrinações que se transformaram em grandes e permanentes romarias de fiéis ao Santuário do Senhor Bom Jesus, o povoado foi se desenvolvendo, transformando-se em vila em 1870, atingindo a categoria de cidade em 1923 e chegando a ser município em